LecturasLusofonia

Sonhos de Natal

Publicamos várias resenhas feitas pela Lucia, o Pablo, o Samuel e e Rubén de 2º da ESO a respeito do conto Sonhos de Natal do escritor português António Mota.

Lucia GarciaLucía García Eiras 2º ESO B. É uma história contada por um menino chamado Manuel, em que nos lembra que o mais lindo e o mais grande que pode existir é a esperança de uma criança. Narra-nos o que lhe aconteceu muitos anos atrás, quando ainda era um menino, numa aldeia pequenina chamada Pedra de Hera, em vésperas do Natal. Naqueles tempos em que o único entretenimento que tinham era jogar com os seus amigos e e visitar o seu vizinho Afonso, a quem tinham muito carinho, pois contava-lhes muitas histórias e jogava com eles.

Nesses dias estavam muito nervosos, a aguardar a que chegasse a noite mágica em que passaria o Menino Jesus a lhes trazer muitos presentes. Passavam os dias a apanhar musgo no monte para prepararem o Portal de Belém com todas as figurinhas do senhor Afonso. Como os dias eram muito pequenos e frios, acudiam à vivenda do Afonso para que lhes contasse o Pedro a história repetida, e o Afonso oferecia-lhes bacalhau. Finalmente, chegou a noite mais aguardada, porque na sua casa ia-se celebrar a Noite de Natal, e a sua família ia jantar junta. O menino não aguardava que fosse chegar o seu pai do Brasil. Quando abriu a porta e olho para ele, não podia acreditar nisso. A noite acabou e o menino ficou adormecido nos braços do pai.

O Manuel pediu ao menino Jesus um livro de histórias e uma gravata vermelha. Quando chegou à cozinha viu os presentes lá, Jesus trouxera-lhe os que ele queria.

Pablo IglesiasPablo Iglesias Romai, 2º ESO B. Era um raparigo que morava numa aldeia muito pequena escondida por uma enorme mancha de altos pinheiros e de gigantescos carvalhos; o seu nome era Pedra de Hera.

Quando todos os anos com a chegada do outono, da chuva e dos fortes ventos, as castanhas saiam dos ouriços. Quando com a chegada da neve, as crianças começavam a jogar. Às vezes à noite a neve caia sem fazer barulho. Às vezes chegava um senhor que se chamava Martins, era gorducho. Um dia entregava uma carta à sua mãe, e ela sempre sorria porque era do seu marido: a sua mãe sorria porque o seu pai estava a trabalhar no Brasil.

As crianças gostavam muito dos presentes. O raparigo chamava-se Manuel, só lhe davam em presente livros, muitas figuras e contavam-lhe histórias extraordinárias. O Manuel tinha muitos amigos e amigas que se chamavam Ana, Joana, Pedro e Ricardo. A sua amiga Joana fazia muitos lençóis de linho e cobertos de lã. O senhor Afonso era um homem que, apesar de levar um cesto, nunca fazia pausas. O senhor Afonso deixou abrir a caixa em que havia figuras de Natal; depois o Manuel lembrou que a sua mãe e a sua avó estavam atarefadas.

Dentro da casa, um homem alto e magro olhou para o Manuel e para a sua mãe, era o seu pai. Essa noite a sala ficou cheia de gente faladora.

Samuel AboiSamuel Aboi López, 2º ESO B. O texto trata sobre o Natal que passou um criança, e nele encontramos várias personagens.

Ao começo, situa-nos numa aldeia no meio do monte, Pedra de Hera, no Natal, e apresenta-nos vários personagens: o Manuel, o principal; o senhor Afonso, um vizinho; e a sua família. Também nos informa das petições das crianças e de que o pai do Manuel –a quem ele não conhecia- está a trabalhar no Brasil. Mais tarde, os personagens desdobram-se e vemos várias cenas, como quando foram apanhar cogumelos e encontraram uma gruta na montanha.

Na Noite de Consoada, o seu pai aparece na casa e o dia seguinte o Manuel tinha uma caixa com os presentes que queria e mais alguns.

Gostei muito do livro, especialmente dos personagens, adorei o protagonista e também o Afonso, essa pessoa idosa e solitária que morava com o seu cão, embora tinha visitas constantes das crianças. Também gostei de onde está localizado e da chegada do pai, de quem não sabíamos nada e que aparece um dia antes do Natal.

Rubén GonzálezRubén González Fontán, 2º B. O Manuel era um rapaz que gostava muito do Natal. Morava com a sua mãe e com a sua avó numa pequena aldeia chamada Pedra de Hera. Ele não conhecia o seu pai, só o vira nalgumas fotos, e enviara-lhe uma carta de Natal em que lhe dava muitos beijos.

Pediu ao Menino Jesus um livro com muitas histórias de bruxas e de princesas. Na Noite de Consoada ouviu-se um som muito estranho em Pedra de Hera, que era o dos  cães a ladrar. A sua avó e mais a sua mãe saíram da casa e viram um táxi em que vinha um homem que era o Zé, o pai do Manuel. Essa noite, a sua casa estava cheia de gente: a Ana, a Joana, o Ricardo, o  Pedro e o senhor Afonso… Ao dia seguinte de manhã, o Manuel foi ver os presentes e abriu o seu: lá estava o livro com muitas histórias.

 

 

Artigos relacionados

Deixa unha resposta

O teu enderezo electrónico non se publicará Os campos obrigatorios están marcados con *

Close
Close